FANDOM


Editora: Angela Pansera Bottin

Colaboradores: Patrícia Krammel Aline Luiza Estevam

Figura1 CardioR

Localização anatômica do Coração

Anatomia do Coração Editar

O coração é um órgão que possui o tamanho um pouco maior que uma mão fechada. Ele é como uma bomba ajustável, pois possui partes que realizam funções juntas para impulsionar o sangue para todo o corpo. O coração é o principal órgão do sistema circulatório, cuja função é fornecer pressão para o sangue se deslocar, permitindo assim que haja um percurso sanguíneo de uma zona de alta pressão, o coração, para outra com menor pressão, a periferia corpórea.

O sangue é um tecido conjuntivo líquido que circula de forma unidirecional e regular através das contrações rítmicas. Por meio dele ocorre o transporte de leucócitos que são células de defesa, eritrócitos, oxigênio, gás carbônico, hormônios e outros nutrientes que estão localizados no plasma.

O sistema circulatório possui as artérias que são vasos sanguíneos, e sua função é levar o sangue oxigenado para os tecidos, já as veias são os vasos sanguíneos que realizam o retorno do sangue ao coração, onde transportará para o pulmão onde será oxigenado o sangue. Os capilares são vasos que possuem uma única camada de célula endotelial, possuem um calibre muito pequeno. Eles estão localizados entre a comunicação das pequenas artérias, as arteríolas, com as pequenas veias chamadas de vênulas.

O coração localiza-se na porção mediana da cavidade torácica, está separado pelo diafragma, músculo estriado esquelético, que responsável pela respiração. Está situado na face interna dos pulmões, ou seja, em um local chamado mediastino que é o compartimento central da cavidade torácica.

Figura2 Cardio

Existe um coração direito que recebe o sangue o sangue venoso (pouco oxigenado) através de da veia cava superior e da veia cava inferior sendo que ambas enviam o sangue para o átrio direito que ejeta para o ventrículo direito. Depois há o bombeamento para o tronco pulmonar no pulmão para que possa receber a oxigenação adequada.

Já o coração esquerdo, recebe o sangue arterial (oxigenado) dos pulmões através dos vasos chamados veias pulmonares e envia para a artéria aorta, artéria de maior calibre, que distribuirá para todo o corpo.

Além disso, existem quatro válvulas que compõem o coração, elas determinam a direção do fluxo e não permitem que haja um retrocesso do sangue na direção contrária. As válvulas atrioventriculares fazem o controle da saída do sangue do átrio para o ventrículo, são elas a bicúspide ou mitral e a tricúspide. Ainda existem as válvulas semilunares que regulam a ejeção do sangue dos ventrículos para a artéria pulmonar e aorta, elas são chamadas de válvulas pulmonar e aorta.

Figura5 Cardio

A parede do coração é formada por três camadas: endocárdio, miocárdio e epicárdio. O endocárdio é uma fina camada interna, ou seja, é um endotélio de tecido conjuntivo que cobre as válvulas e o coração. O miocárdio é a camada intermediária de músculo cardíaco, sendo esta bem espessa. O epicárdio é a camada externa que reveste a víscera.

O músculo do coração possui células alongadas e apresentam um ou dois núcleos que estão localizados no centro da célula. Cerca de 99% das células cardíacas musculares são contráteis, e 1% das células cardíacas é responsável pelo sistema de condução que não são contráteis. Aproximadamente 40% do volume da célula cardíaca é composto por mitocôndrias que são organelas celulares responsáveis pela respiração celular. Há também em abundância a mioglobina, o principal carregador de oxigênio para os tecidos musculares, porém ela armazena em quantidades limitadas de oxigênio.

Caso ocorra um aumento das fibras musculares, hipertrofia cardíaca, provavelmente há uma resistência ao bombeamento do sangue para o corpo ou o volume sanguíneo aumentou de maneira desproporcional à quantidade que o coração suporta bombear.

Figura4 Cardio

Atividade Elétrica do coração Editar

O coração é um órgão que possui duas características essenciais que o diferencia dos demais órgãos: excitabilidade e condutibilidade. As células cardíacas de condução (1%) não necessitam de um estímulo, ou seja, não há inervação para gerar o estímulo da contração, pois há um sistema especializado que mantém esta ritmicidade. Estas células condutoras são denominadas células pacemarker. O sistema elétrico é composto pelo nó sinoatrial, nó atrioventrciular, vias internodais, feixe A-V e fibras his-purkinje. É através destes componentes que ocorre a condução elétrica, e cada um deles se diferencia pela freqüência da corrente elétrica.

Figura3 Cardio

Existem canais iônicos nas membranas das células musculares cardíacas, e a variação entre o meio interno e externo de íons é que vai gerar um potencial de ação, uma onda de descarga elétrica que cursa a membrana da célula e o potencial de repouso, quando o potencial de membrana não é alterado.O potencial de ação normal de uma célula é negativo -90mv. É necessário um potencial de ação para haja a eletricidade cardíaca, por isso que existem etapas para a geração elétrica: a abertura dos canais de sódio (Na+) fazem com que o potencial da célula aumente, pois no início estava com -90mv. Logo após, há uma diminuição na permeabilidade dos canais de potássio, reduzindo a sua saída da célula. Quando o potencial chega entorno de -60 mv, os canais lentos de cálcio começam a se abrir, interrompendo a queda do potencial causada pelo potássio, acelerando o processo de despolarização (alteração da polaridade da célula), assim há a despolarização por completa.

Para que a célula volte ao seu potencial de membrana de repouso, os canais de potássio abrem e liberam estes íons, fazendo com que o potencial de membrana volte a ser negativo como no início.

A freqüência de despolarização no nó sinoatrial é maior que em outros tecidos especializados, por isso ele é o marcapasso do coração, o seu impulso é gerado e conduzido para o nó atrioventricular que atinge o seu limiar e envia a impulso para os ventrículos. Depois a fibras de purkinje assumem o controle da condução elétrica e que possuem uma freqüência menor de contração.

Figura6 Cardio

Ciclo cardíaco Editar

O coração bate cerca de uma vez a cada segundo. O ciclo é caracterizado pela seqüência de fases que ocorrem a cada batimento do coração. São elas: sístole atrial, diástole atrial, sístole ventricular e diástole ventricular. Ciclicamente há uma contração e um relaxamento. Durante a diástole (relaxamento), a pressão torna-se menor na cavidade para que o sangue possa entrar, ao contrário do que ocorre na sístole, processo no qual o miocárdio se contrai.

O início da diástole ocorre com a abertura das válvulas tricúspide e mitral e o enchimento dos ventrículos. Com o fechamento das válvulas de entrada, encerra-se a diástole. Em seguida a contração do ventrículo, faz com que as válvulas aórtica e pulmonar abram, permitindo que aconteça a sístole ventricular. Ao final deste último processo, há o fechamento das válvulas aórtica e pulmonar. Em seguida há o reinício da diástole atrial e depois a sístole atrial, quando se inicia o batimento cardíaco.

.



Links relacionados Editar

Disponível em : http://www.dq.fct.unl.pt/cadeiras/fisiolcel/main/PDF/seminarios/Fisol_cora%E7%E3o_sem_1.pdf

Disponível em: http://perfline.com/livro/download/Fdm_CEC_cap_03.pdf

Disponível em: http://www.medipedia.pt/home/home.php?module=artigoEnc&id=97

Disponível em: http://www.icb.ufmg.br/fib/neurofib/Engenharia/Marcapasso/func_fisio.htm

Disponível em: http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/corpo-humano-sistema-cardiovascular/coracao-16.php

Disponível em: http://www.auladeanatomia.com/cardiovascular/coracao.htm






Referências Bibliográficas Editar

GUYTON, Arthur C.; HALL, John E. .Tratado de Fisiologia Médica. 11. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2006.

JUNQUEIRA, Luiz C.; CARNEIRO, José. Histologia Básica. 11. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2008.

GOLDMAN, Lee., AUSIELLO, Dennis. . Cecil – Tratado de Medicina Interna. 22 ed. Elsevier, 2005. 2v.